• Rádio União

Em Balneário Camboriú vigilância epidemiológica tira dúvidas sobre a dengue e a febre amarela


A dengue é uma doença causada por um vírus, transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. Foi diagnosticado no município um caso importado de uma paciente vinda de Inhumas, Goiás. A mesma se hospedou na cidade no período em que estava em fase de viremia, ou seja, quando o vírus está presente no sangue e pode contaminar o mosquito caso ocorra a picada. Por isso, foram realizadas ações nos arredores da Rua 1400, que é onde a paciente passou a maior parte do tempo, como a aplicação de inseticida UBV pelos agentes do Programa de Combate ao Aedes aegypti e a busca ativa de novos casos suspeitos pela Vigilância Epidemiológica. É importante salientar que o mosquito demora de 8 a 12 dias para começar a transmitir o vírus às pessoas através da picada, por isso as ações do município para conter o foco foram realizadas de maneira ágil, minimizando assim o risco de transmissão. O período de incubação (tempo entre a picada do mosquito contaminado e o início dos sintomas no paciente) é em média de seis dias. Deve-se procurar uma unidade de saúde o mais rápido possível, se ocorrerem sintomas de febre, dor de cabeça e dores musculares, podendo manifestar também dores nas articulações, náuseas, vômitos, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele. A febre amarela também é causada por vírus e existe o ciclo de transmissão urbana e silvestre. O ciclo urbano envolve o mosquito Aedes aegypti e o ciclo silvestre, os mosquitos da espécie Sabethes spp. e Haemagogus spp. A transmissão urbana, envolvendo o mosquito Aedes aegypti, não é registrada no Brasil desde 1942. Os macacos são o que chamamos de sentinelas, pois por estarem mais próximos de onde os mosquitos do ciclo silvestre vivem, nos avisam de uma possível circulação do vírus quando começam a ser encontrados mortos ou doentes, por isso são tão vítimas dessa doença quanto os seres humanos. Segundo dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), Santa Catarina não registra casos autóctones (de transmissão dentro do estado) desde 1966, sendo que os casos suspeitos que estão sendo investigados dentro do estado são de pacientes que tiveram deslocamento para áreas com transmissão fora de Santa Catarina e aguardam resultado laboratorial. Balneário Camboriú não é uma área com recomendação da vacina de febre amarela e não foram registrados casos suspeitos neste ano. A vacina é indicada para pessoas que irão viajar para áreas que possuem essa recomendação e que podem ser consultadas no site do Ministério da Saúde (link abaixo). Também devem receber a vacina as pessoas que irão viajar para países que fazem essa exigência e para isso também é necessário o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia. A vacinação contra febre amarela foi inserida recentemente no calendário nacional de vacinação para crianças de 9 meses de idade. As vacinas estão disponíveis em todos os postos de saúde da cidade. A emissão do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia está disponível no Posto de Saúde Central, porém antes é necessária a realização de um cadastro no site www.anvisa.gov.br/viajante. Para viagens internacionais, é preciso a comprovação através da passagem. Visando garantir proteção, a vacina deve ser aplicada com 10 dias de antecedência da viagem. Uma única dose completa protege contra a doença durante a vida inteira.